• Grupo Zenobini

Oceantec/FURG conhece projeto e obras do Hospital Monporto



O diretor-presidente Dr. Rafael Avancini e o diretor-financeiro Dr. Marcelo Molinari receberam nesta sexta-feira, 09, no Hospital Monporto, a visita de representantes da Universidade Federal do Rio Grande — FURG. A equipe do OCEANTEC e INOVA RS conheceram a concepção do projeto do novo hospital regional e também as obras em execução na Av. Presidente Vargas, em Rio Grande. O Monporto atenderá convênios e particulares com a previsão de inauguração em junho de 2023.


“Foi muito importante conhecermos o projeto e perceber o quanto de integração, de sinergia tem com o que a gente faz no OCEANTEC. A partir de hoje estabelece-se assim uma relação bastante profícua, bastante próxima. Estamos em Rio Grande, acreditamos na cidade, buscamos pelo seu desenvolvimento social e econômico. Há uma vontade mútua dessa aproximação com o que temos no OCEANTEC e a direção do Monporto”, avaliou o diretor do OCEANTEC/FURG, Artur Gibbon. Ainda estiveram com ele nas obras, o coordenador de incubação e empreendedorismo, Aléssio Almada; o coordenador do Escritório de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia, Luciano Ribeiro e; a diretoria do iTec, Sílvia Botelho. Também acompanharam a visita, as gestoras de inovação do programa INOVA RS na Região Sul, Taynara Domingues e Mônica Igarashi.


A tecnologia e a inovação farão parte da história do Monporto desde a sua inauguração. Buscando a melhor experiência para os usuários, o Monporto será aberto com possibilidade de check-in pelo telefone celular, por exemplo, facilitando e dando mais agilidade ao processo de ingresso ao Hospital. Além disso, o funcionamento, gestão de recursos humanos e materiais e outros itens contarão com mecanismos de inteligência que auxiliam no processo de organização do serviço hospitalar.


Hospital Monporto


O Hospital Monporto, da Rede de Saúde Açores, está sendo construído em um terreno de 15 mil metros quadrados. O novo hospital terá 9,3 mil metros quadrados na fase inicial. Estão sendo investidos cerca de R$90 milhões entre a construção da edificação, compra de equipamentos, mobiliário, ativos de TI e capital de giro. Estão sendo gerados 150 empregos diretos durante a construção, além de 200 empregos indiretos. Já na primeira fase de operação, serão 450 empregos diretos e 150 indiretos. A capacidade inicial do hospital será de 75 leitos hospitalares, incluindo quartos com dois leitos, apartamentos, terapia intensiva e hospital-dia. Conforme a demanda, o hospital já estará preparado para atingir 200 leitos.


Foto: Juliana Pontes


6 visualizações0 comentário