top of page
  • Foto do escritorGrupo Zenobini

Sinduscon Rio Grande realiza capacitação de negócios com o novo marco do saneamento

Evento ocorreu no Villa Moura Executivo e contou com a participação de empresários e do setor público.

Na noite de terça-feira, 18, empresários e representantes do setor público reuniram-se no Villa Moura Executivo para debater as oportunidades de negócios oriundas a partir com o novo marco do saneamento básico. O Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande — Sinduscon Rio Grande/RS — teve o seu projeto de capacitação selecionado entre os 15 melhores do Estado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul — FIERGS — e SEBRAE. A iniciativa da entidade é uma parceria com a Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (AGITTEC) da Universidade Federal de Santa Maria.

O vice-presidente do Sinduscon Rio Grande/RS, eng. Mecânico Evandro Coradi, abriu o evento reforçando a importância do novo marco do Saneamento e as oportunidades que serão abertas até 2030. “Segundo os dados do Governo Federal, são estimados cerca R$900 bilhões de investimento no Brasil nos próximos dez anos. Hoje, temos mais de cem milhões de pessoas sem coleta de esgoto”, afirma ele. Coradi também ressaltou que dentro das quatro áreas que compõem o saneamento básico (tratamento de água, coleta e tratamento de esgoto, drenagem da água da chuva, a gestão de resíduos sólidos gerados e a limpeza urbana) existem muitas possibilidades que as empresas podem atuar na construção de soluções. O presidente do Sinduscon Rio Grande/RS, Airton Zoch Viñas, enviou uma mensagem da importância do evento para as empresas diretamente da Mercopar, em Caxias do Sul.

A primeira etapa do projeto da entidade consiste numa primeira sensibilização para a atenção ao marco regulatório. O projeto que visa a capacitação de micros e pequenos empresários interessados em aproveitar as novas oportunidades de negócios e, também, de gestores públicos, técnicos e líderes comunitários. A ideia é apresentar os passos necessários para o planejamento, implementação e/ou fiscalização de ações de drenagem urbana. O curso de qualificação será iniciado a partir de março de 2023, com duração de um ano, com o apoio da FIERGS, através do Programa de Apoio a Projetos Sindicais, e do SEBRAE.

Esteve em Rio Grande, o coordenador geral do projeto pela AGITTEC, eng. Daniel Gustavo Allasia Piccilli. “Temos uma legislação nova e esse novo marco do saneamento básico é realmente uma virada de página. O Estado aceitou finalmente que não tem perna para providenciar saneamento para todas as pessoas”. Segundo ele, a regulamentação traz segurança jurídica para os investidores. “Nós já vimos como empresas privadas tem funcionado muito bem na área de água e esgoto”, reforça ele sobre a entrada do setor privado nesse segmento.

Para Piccilli, há também por parte do empresariado a necessidade de uma preparação prévia, organização interna. “Isso é fundamental. Esse mercado da drenagem urbana e do saneamento básico será ampliado. É um mercado que já começou, já está em andamento. As empresas que conseguirem ser preparadas, se consolidarem para entrar neste mercado, vão contar com as potencialidades infinitas. É um mercado que pelos próximos anos, só na área de construção civil, empregará dois milhões de pessoas”, conclui ele. O secretário de Município de Zeladoria, Marlon Soares, que tem entre suas responsabilidades as áreas temáticas da noite, classificou o evento como “esclarecedor e motivador”. Segundo ele, o resultado “traz novos horizontes para perspectiva da administração pública”.

Estiveram presentes no evento mais de 20 empresas das áreas de construção civil, arquitetura, urbanismo e planejamento. Pelo setor público, estiveram ainda o secretário de Coordenação, Planejamento, Habitação e Regularização Fundiária, Júlio César Touguinha de Almeida e; o secretário de Meio Ambiente, Pedro Friedrich Fruet. Participaram ainda engenheiros e técnicos da administração municipal.

Capacitação

A metodologia foi dividida em duas etapas. Na primeira constam as palestras iniciais, uma já realizada em Rio Grande e outra que ocorrerá em Fevereiro/2023, em Pelotas. A segunda etapa da metodologia consiste na Capacitação em Gestão de Águas Pluviais Urbanas. Um dos temas tratados será o impacto das cheias urbanas, que tem sido um dos principais problemas da América Latina nas últimas décadas. Esta capacitação foi desenvolvida para apresentar a visão de gestão integrada das águas pluviais urbanas e uma nova concepção de gerenciamento com base neste novo marco legal do saneamento básico e na Agenda 2030 da ONU.



1 visualização0 comentário

コメント


bottom of page